PT
EN

Curriculum Vitae Realizador Carlos Ruiz Carmona

Carlos Ruiz trabalha na área do cinema desde 1990.Em 1996 produziu o drama Rooftop, que lhe valeu o prémio de Melhor Argumento no Festival Internacional de Cinema de Valência. Rooftop foi distribuído nos Cinemas Odeon em Londres. Em 1999, realizou a sua primeira longa-metragem de ficção, To anyone who can hear me, que participou nos festivais de cinema de Taormina, Edimburgo, Madrid, Siena, Croácia, e Figueira da Foz, tendo ganho dois prémios principais: o Grande Prémio para a Melhor Longa-metragem de Ficção e o Prémio do Júri Internacional de Jornalistas; a longa-metragem valeu-lhe ainda uma Menção Honrosa no Festival Internacional de Cinema e Vídeo de Famalicão. Em 2001, Carlos Ruiz produziu Shadows, filme selecionado para o Festival Internacional de Roterdão em Janeiro de 2002. Shadows teve a sua estreia no Columbia Tri-Star Preview Theatre em Londres, em 2001.

Em 2004 Carlos Ruiz terminou a sua segunda longa-metragem Retrato, que participou nos festivais internacionais de documentários de Taiwan, Ancara, Roma, Madrid, Cádis, Helsínquia, DocLisboa e Tui-PlayDoc. Retrato ganhou o prémio Cidade de Madrid para a Melhor Longa-Metragem Espanhola no Festival Internacional de Documentários de Madrid e obteve uma Menção Honrosa do Júri no Festival Internacional de Documentários de Tui. Em 2009 e 2010, Retrato foi distribuído internacionalmente pelo Instituto Miguel Cervantes. O programa incluiu exibições em Moscovo, México, Xangai, Estocolmo, Pequim, Roma e Casablanca. Em 2013, foi selecionado e exibido internacionalmente pelo Eurochannel na Europa, Ásia e América.

Em 2009, Carlos Ruiz realizou e produziu o drama de ficção Roots que ganhou o prêmio Prix Bracara Augusta no Festival de Cinema Independente de Braga, Portugal. O filme também foi premiado como Melhor Curta-Metragem no Festival Internacional de Cinema do Minho. Entre os anos de 2011 e 2015, Carlos tem dirigido e produzido uma série de documentários e projetos audiovisuais institucionais que foram exibidos na TV como Um Estudo das Possibilidades, Uma Nova Narrativa para a Europa ou O jantar que nunca aconteceu , e alguns documentários sobre o trabalho de grandes artistas contemporâneos como Rui Chafes, Alberto Carneiro, Susana Solano ou Didier Faustino. Em 2011, realizou a curta-metragem intitulada Greve, que também foi exibida na RTP2 em 2013 e 2014. Este filme também foi exibido na Cinemateca de Galiça, Murcia e Valência. Em 2016, concluiu a produção de uma série de 13 documentários para o canal português RTP2 intitulado A Minha Tese.

Em 2017, Carlos completou o seu último filme documentário CRU: um documentário observacional produzido no Porto durante um período de quase 10 anos. O projeto recebeu o apoio do ICA em 2016. O filme pretende discutir e questionar os valores da sociedade moderna e a natureza humana através de um retrato psicológico contemporâneo não-linear de histórias de vida íntimas. A sua estreia mundial teve lugar em Novembro de 2017 na Competição Internacional de um dos maiores Festivais de Cinema Documentário Europeu - DOK LEIPZIG. Em abril de 2018 teve a sua estreia em Suiça no Festival Internacional de Visions du Reel e em July de 2018 teve uma Menção Honrosa na Competição Internacional no Festival Internacional de Avanca. Julho, 2018.


Prémios

Menção Honrosa Competição Internacional. Festival Internacional de Avanca. Julho, 2018.

Grande Prémio para a melhor longa-metragem no Festival Internacional de Cinema da Figueira da Foz. 1999.

Prémio do Júri Internacional de Jornalistas no Festival Internacional de Cinema da Figueira da Foz. 1999.

Menção Honrosa no Festival Internacional de Cinema e Vídeo de Famalicão. Portugal. 2001.

Bracara Augusta Award no Festival de Cinema Independente Bragacine, 2010.

Melhor Filme na categoria de Cinema Minhoto no Festival Internacional de Cinema do Minho Filminho, 2010

Prémio Cidade Madrid à Melhor Longa-metragem Espanhola no Festival Internacional de Documentários de Madrid. Espanha. Maio 2005.

Menção Honrosa no Festival Internacional de Documentários de Tui. Pontevedra. Espanha. Março 2006.

Melhor Realizador no Festival Internacional Independente de Braga – Braga Cine. Novembro 2005.

Curriculum Vitae Director Carlos Ruiz Carmona

Spanish/Portuguese filmmaker who has worked as producer and director in England and Portugal since 1995. He has produced several shorts and documentaries for television over the years. He currently lives in Porto (Portugal) where he set up his own production company, Fronteira Filmes, mostly dedicated to the production of documentaries.

In 1999 Carlos Ruiz directed and produced his first feature-length film: To anyone who can hear me. This film was premiered at the International Film Festival of Taormina, Italy and participated in festivals such as Edinburgh, Madrid, Sienna, Croatia, Roma, and Figueira da Foz. In 1999 To anyone who can hear me won two major awards at the International Film Festival of Figueira da Foz, Portugal: Grand Prix for best Feature Fiction Film and International Journalists Jury Prize and an Honorable Mention at the International Film Festival of Famalicâo, Portugal. In 2001 Carlos Ruiz produced Shadows, which was entered in competitions at the International Film Festival of Rotterdam (Netherlands) in January 2002. Shadows had its debut at Columbia Tri-Star Preview Theatre in London, England, 2001.

In 2004 Carlos Ruiz directs and produces his second feature film: Portrait, an award wining feature documentary which has participated in many International Film Festivals such as Taiwan, Ankara, Rome, Madrid, Mexico, Cadiz, Helsinski, DocLisboa and Tui-PlayDoc. In 2005 Portrait won Best Spanish Feature Film at the International Documentary Film Festival of Madrid, Spain. In the same year the film was awarded an Honorable Distinction at the International Documentary Film Festival of Tui, Pontevedra, Spain. In 2009 and 2010 Portrait was selected and distributed internationally by Miguel Cervantes’ Institute. The program included multiple long-term exhibitions in Mexico, Moscow, Shanghai, Stockholm, Beijing, Rome and Casablanca. In 2013 was selected and exhibited worldwide by Eurochannel in Europe, Asia and America.

In 2017, Carlos completed his latest documentary film CRU: an observational documentary produced in Oporto over a period of almost 10 years. The project received support from the ICA in 2016. The film aims to discuss and question the values of modern society and human nature through a contemporary nonlinear psychological portrait of intimate life stories. Its world premiere took place in November 2017 in the International Competition of one of the biggest European Documentary Film Festivals - DOK LEIPZIG. In April 2018 he made his debut in Switzerland at the International Festival of Visions du Reel and in July 2018 had an Honorable Mention in the International Competition at the International Festival of Avanca. July, 2018.


Awards

Honour Mention, Avanca International Film Festival, July 2018

Best Documentary, Bragacine Independent Film Festival, Bracara Augusta Award, 2010 Portugal

Minhoto Cinema Best Film, Filminho Minho International Film Festival, 2010 Portugal

Honourable Mention, Tui International Documentary Film Festival, 2006 Pontevedra, Spain

Best Spanish Feature City of Madrid Award, Madrid International Documentary Film Festival, 2005 Spain

Best Director, Festival Internacional Independente de Braga – Braga Cine,2005 Portugal

Best Feature film, Figueira da Foz International Film Festival, 1999 Portugal

International Press Award, Figueira da Foz International Film Festival, 1999 Portugal

Honour Mention, Famalicão International Video and Film Festival, 2001 Portugal